Síndrome de Asperger – Grandes Qualidades

Se é diagnosticada a síndrome de Asperger ao seu filho ou filha, aluno ou aluna, está perante alguém singular e com qualidades admiráveis.
Sendo as suas características mais evidentes na infância, tornando-se cada vez mais diluídas na idade adulta, a criança que apresenta características desta síndrome é honesta, fiável, dedicada, determinada e apaixonada pelos seus interesses particulares. Aprofunda estes seus interesses ao mais ínfimo pormenor, tornando-se especialista nessa área. Muitas vezes sabe mais sobre certos animais, ou rochas, ou astros do que os seus docentes. Gosta de rotinas e de saber o que vai acontecer a seguir, tem um código moral forte, é inteligente, tem uma memória visual e a longo prazo. Tem uma linguagem elaborada e bem articulada, por vezes desajustada, mas também brilha e encanta frequentemente.
Tem as suas dificuldades como todos nós. Nomeadamente na comunicação e interacção social. Tem dificuldade em exprimir as suas emoções, em interagir socialmente, em interpretar expressões e linguagem não verbal, em compreender quando os outros mentem e tende a isolar-se. O seu comportamento não lhe é intuitivo, mas por imitação e racionalizado. Também não entende o sarcasmo, as nuances nem as metáforas. Tem dificuldade em distinguir a ficção da realidade. Leva tudo à letra.
Como ajudar a ultrapassar estas dificuldades: 4 dicas básicas.
1-      Organização
2-      Rotina
3-      Linguagem objectiva
4-      Explicar/ ensinar comportamentos sociais

Organização
Deve-se ensinar e ajudar estas crianças a terem tudo organizado – roupa, material escolar, objectos pessoais, utensílios domésticos, etc., – para saberem sempre onde encontrar o que precisam. Isto facilita-lhes a concentração, a aquisição de conhecimentos e bom desempenho nas suas tarefas.
Rotina
É importante que tenham uma rotina que sofra o mínimo de alterações possível. Saber o que se segue e repetir frequentemente determinados procedimentos, ajuda estas crianças a sentirem-se seguras e a saber interagir em contextos que já lhes são familiares.
Linguagem Objectiva
Este é um ponto fulcral. Com estas crianças a linguagem tem de ser a mais objectiva e clara possível. Se nós dissermos, por exemplo, “Está a chover a potes.” Uma criança com estas características irá responder imediatamente: “Não, chove chuva, água.” Se queremos dizer que alguém estava demasiado seguro da sua resposta, mas falhou, e utilizamos a expressão: “Ele caiu do cavalo.” A criança irá perguntar: “Mas qual cavalo?”
Explicar/ ensinar comportamentos sociais
Há situações que não lhes são claras sem uma explicação apropriada. Vejamos o seguinte exemplo. Uma criança com estas características vê um rapaz a piscar o olho a uma rapariga. Qual será o seu pensamento provável? Que o rapaz tem qualquer coisa no olho. É necessário explicar com clareza a esta criança que fazer aquilo com o olho é uma forma do rapaz dizer à rapariga, sem ser com palavras, que gosta dela.

1 comentário:

Anónimo disse...

Foi diagnosticada essa síndrome ao meu filho há poucos meses. No início fiquei muito preocupada. Gostei muito deste artigo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Ocorreu um erro neste dispositivo